Revolucionando a educação: confira como foi a edição de Curitiba do Fórum Nacional de Educação

No último sábado (25), em torno de 250 educadores se reuniram no Hotel Pestana, em Curitiba (PR), para participar da primeira edição de 2017 do Fórum Nacional de Educação. Idealizado e realizado pelas Soluções Educacionais Expoente (SEE), o Fórum traz possibilidade de reflexão sobre a prática docente, apresentando novas abordagens, ideias e soluções para os desafios em sala de aula. Espera-se que com essa formação continuada o professor possa repensar seu papel, assim como a necessidade de maneiras diferentes de atrair os alunos para a escola, que mudaram a forma como interagem com as pessoas e as informações em um mundo que está cada vez mais globalizado e tecnológico.

Os participantes foram recepcionados com um café e uma apresentação musical do Tupi Pererê, grupo musical que realiza performances para crianças. Em seguida, o diretor de negócios e marketing do Grupo Expoente, Vitor Hugo Goulart, fez uma contextualização do histórico dos sistemas de ensino no Brasil, mostrando a evolução do segmento e como ele tem contribuído para melhorar os índices de aprendizagem nas escolas. Goulart também apresentou os resultados das Soluções Educacionais Expoente e como seus projetos têm estimulado um processo educacional diferenciado, com alguns bons índices já obtidos no primeiro ano das inovações. Um dos dados aprsentados que marcou foi a evolução das aprovações no vestibular da Universidade Federal do Paraná dos alunos do Colégio Expoente, unidade de ensino vinculada às SEE: após um ano de implantação do Aprova Mais, observou-se um aumento de 116% nos alunos que conquistaram uma vaga em uma das mais conceituadas universidades do País.

Em seguida, o professor e doutor em Ciências da Educação, Alexandre Ventura, levou uma reflexão sobre a escola, seu papel e, principalmente, o papel do professor. Um dos tópicos que ele abordou é como a satisfação do professor faz diferença na aprendizagem dos alunos: professores contentes com suas formas de atuação conseguem ajudar mais no entendimento dos assuntos apresentados em sala de aula, influenciando de maneira positiva na educação dos estudantes. Um dos outros pontos que ele comentou é a falta de um trabalho em rede para a melhora dos métodos de ensino: com a falta de troca de experiências e reconhecimento dos professores, quem é prejudicado é o aluno, que não tem acesso às melhores práticas docentes para influenciar uma aprendizagem mais significativa.

ExpoTalks: pequenas conversas, grandes ideias

Durante a tarde, o grupo de participantes foi dividido em três para participar das ExpoTalks, palestras de curta duração mas com a apresentação de novas técnicas e metodologias para a sala de aula. Sala de aula invertida, Peer to peer learning, experiência imersiva de aprendizagem, gamificação e Team based learning foram algumas das metodologias apresentadas pelos professores e palestrantes Marlon Brunetta, José Motta e Paulo Tomazinho, todas testadas e aplicadas nas aulas desses docentes, que compartilharam resultados e como essas novas maneiras ajudam no desenvolvimento dos alunos.

Após esse momento de reflexão, foi realizado o encerramento do evento, com a expectativa de que os novos conhecimentos e práticas repassadas ajudem os professores a inovarem em suas docências. Assim, a sala de aula ficará mais próxima ao dia a dia dos alunos, promovendo momentos de aprendizagem mais profunda e significativa.



Data de Publicação: 27/03/2017